sábado, 25 de julho de 2009

Cala a boca pensamento...





...ou eu te enfio uma faca!




Ultimamente ando pensando sobre a sinceridade e as pessoas. Aliás ando tendo crises de sinceridade... E o pior é que elas costumam ser quase sempre meio (ou inteiramente) desastrosas. Não queiram saber! Enfim, acho que falar salva (e é obvio que calar tbm). Creio que em razão dessas crises, tenho ocupando meus pinos cerebrais com a seguinte questão: E SE DESSE A LOUCURA DA FRANQUEZA? O que diriam as pessoas às outras? Afinal de contas a sinceridade destrói castelos de areia. É a realidade sem anestesia. Ela não estimula reticências, não teatraliza as relações humanas, não falsifica impressões. A sinceridade encerra qualquer discussão, ainda mais num mundo tão intoxicado por falsidades.
Eu errei! Eu traí! Eu me iludi! Eu sou assim! Eu odeio trabalhar! Eu disse "eu te amo" sem ter certeza! Não uso filtro solar! Dirijo depois de beber! Que merda que eu dei! Que merda que eu não dei! Já pensei em suicídio! Me arrependo de ter filhos (ou de não ter tido)! Não perdôo meu pai! Casei por dinheiro! Tenho medo da solidão! Perdi oportunidades! Fui injusta com algumas pessoas! Vacilei com outras! Estou sem paciência com o mundo! Não tenho talento! Tive sorte! Não passei a perna em ninguém! Nunca menti pra me safar! Menti demais para não magoar! Nunca inventei personagens! Inventei vários personagens! Não sei direito quem sou! Não sei a resposta! Não sei! Não sei!!!

A sinceridade é soberana.
Emudece. É tão inesperada que impede retaliações.
A sinceridade é o ponto final.

2 comentários:

Bruno disse...

Seria engraçado um experimento no qual todo mundo dissesse o que viesse à cabeça.

Acho que a gente faz muitas falsificações por MINUTO ao longo do dia.

Rafael Figueira disse...

Esse experimento seria uma mistura de ensaios(sobre a cegueira e a lucidez)
se não somos sinceros com nós mesmos, o que dizer com os outros?não sei, não sei!!!